0
Categoria: Opinião

Black Fraude

Foi ontem a tal da Black Friday. Black Friday pra cá, Bléqui Fráidei pra lá, lojas virtuais, megastores, petshops e até restaurantes com promoções e descontos (im)perdíveis. Pra felicidade dos boêmios, ouvi boatos de até mesmo botecos com doses de Dreher mais em conta!

A Black (para os intimos) surgiu nos Estados Unidos por volta dos polêmicos anos 90, onde após o feriado de ação de graças, as lojas abriam suas portas com grandes ofertas para o início das vendas de Natal. Na época a coisa tornou-se tão grande e popular que levou multidões para as lojas. Um sucesso maior a cada ano.

Claro que tudo que é bom lá fora, costuma aparecer no Brasil anos depois. Algumas vezes, muitos anos depois. E apareceu por aqui por volta de 2011, onde grandes lojas virtuais tiveram a cara de pau de criar o evento por aqui – mesmo sem termos feriado de ação de graças – , com discretas ações de marketing. Ninguém ligou muito. Sem resultados expressivos e a coisa dando certo a cada ano nos states, as lojas virtuais tramaram um marketing mais, digamos, agressivo para o próximo ano. Promessas de descontos absurdos presentes em todas as mídias de comunicação: tv, web, impresso, boatos. E realmente, nos segundo ano tivemos uma Black Friday digna de evento nacional: produtos com descontos consideráveis (porém nada impossíveis) do que qualquer época do ano. Resultado: febre nacional do consumismo.

Tudo seria muito bom se, claro, não estivéssemos na terra do famoso jeitinho brasileiro.

Como o brasileiro mordeu a isca, no outro ano as lojas virtuais começaram a aumentar o valor de seus produtos de forma absurda alguns meses antes para, assim, diminuírem os preços ao seu valor normal para criarem a ilusão de um grande desconto durante a Black Friday.

Descontos imperdíveis!

Aí o povo chiou. Assim, a coisa toda ganhou no Brasil o apelido carinhoso de Black Fraude. Como o brasileiro realmente não tem limites, foi daí que surgiu o slogan: “Tudo pela metade do dobro”.

I M P E R D Í V E L

Os anos seguintes foram de sucesso e crescimento nas vendas, apesar de uma grande parcela do público desacreditar no engodo. E as lojas físicas, perdendo espaço para as virtuais, resolveram aderir à onda. Na verdade PRATICAMENTE TODO TIPO DE COISA ADERIU à Black Friday. A coisa virou casa da mãe joana.

Sem falar que hoje tem a Cyber Monday.

Tags: