0
Categoria: Experiências

O dia em que resolvi ser ambidestro

ambidestria-post

Há alguns anos atrás, lá pelos meus 8 anos de idade, uma menina que estudava comigo que não me lembro nem do rosto e muito menos do nome apareceu com o braço direito engessado na sala de aula. E, com curiosidade, olhei desconfiado aquele braço branco e fixo em posição napoleônica mas não falei nada (continuei escrevendo meu nome, série e cidade em meu caderno de caligrafia). Logo depois de uns minutos – com minha mão direita já dolorida de tanto escrever – ouvi minha professora dizendo para a menina: “Você não precisa escrever essa semana, por causa do braço”.

Bingo:
“Eu também preciso quebrar o meu braço”.

Mentira, não pensei isso: na verdade imaginei que ter o braço direito engessado seria meio que vestir uma camisa de força empedrada, porque eu estava começando a pegar gosto por desenhar Cebolinhas, Homens Aranha e, o que mais viesse em minha frente! E eu provavelmente não conhecia a palavra “canhoto” – eu nem suspeitava que alguém pudesse escrever com a mão esquerda.

Pra mim, ou as pessoas escreviam e desenhavam com a mão direita ou não conseguiriam fazer nenhuma das duas coisas. Eu não estava tão errado: a imensa maioria das pessoas possui um braço dominante e um outro que realiza outras tarefas, mas não com o mesmo desempenho do braço dominante.

Depois de adulto, e já vacinado sobre a existência de canhotos, assisti ao filme Zodíaco – que conta a história de serial killer que aterrorizou a Califórnia nos anos 60 e 70 (quer saber mais? veja aqui) e aí então descobri que o assassino era ambidestro (não sei realmente se este fato é verídico ou se somente um atrativo inventado por diretores de marketing do filme). Até então, para mim as pessoas eram divididas em canhotos e destros: nunca me perguntei sobre a existência de alguém que escrevesse com as duas mãos e perambulasse por aí como alguém normal.

Então saí pesquisando:
a ambidestria é algo que pode ser adquirido? (sim, pode)
existem pessoas ambidestras de nascença? (sim, modafocas e raríssimas)
ambidestria significa somente escrever com as duas mãos ou é algo mais amplo como chutar/se apoiar com as duas pernas, etc.? (é isso e muito mais)

A ambidestria é uma habilidade que pode ser adquirida e aperfeiçoada com a prática, persistência e paciência.
E, por coincidência ou não, acabei sabendo também que nada mais nada menos que Leonardo da Vinci foi ambidestro – o mestre escrevia,  pintava e realizava diversos afazeres com o mesmo desempenho com qualquer uma das mãos.

Pensei comigo: “Por que não me tornar um ambidestro também?”

Voltei às minhas pesquisas e garimpei algumas dicas, testes e macetes para deixar de ser um João-sem-braço para me tornar alguém com DOIS braços dominantes.
E muitos deles me aconselharam a comprar um caderno de caligrafia para começar a escrever com a mão esquerda, assim como os exercícios que estava fazendo em meu caderno de caligrafia há mais de 20 anos atrás quando era criança. Eu estou literalmente aprendendo a escrever novamente.

Já fui bom nisso e vou ser novamente!

Já fui bom nisso e vou ser novamente!

Irei postar algumas impressões 1x por semana sobre meu treinamento, fotos da evolução de minha letra, impressões, desenhos e habilidades que estarão sendo adquiridas com meus treinos.

Um fato curioso é que quando comprei o caderno de caligrafia, ao passar no caixa a atendente (sabe Deus por qual motivo) me perguntou :
– É pra criança?
– Não, é pra mim. Tô aprendendo a escrever com a mão esquerda.
… 1 segundo de silêncio
– Que bacana… boa sorte! Tem gente que não escreve direito nem com uma!

 

 

 

 

Tags:

0 Comentários