0
Categoria: Crônicas

O cidadão de bem

José acorda cedo como todo cidadão de bem.

Liga a cafeteira e vai tomar um banho.
Veste-se, toma seu café e escova os dentes.
Toma seu remédio do dia e sai.

José pega o horário de pico pra chegar ao trabalho.

Chega ao estacionamento, caminha até o serviço, entra no elevador e pensa: – maldita falta de ar.
José bate o ponto, cumprimenta as pessoas, liga o computador e senta-se à mesa.
Não faz muita coisa até o relógio dar o horário de almoçar.

Comumente almoça com colegas do serviço, comentam sobre o excesso de reuniões desnecessárias e voltam pro trabalho.

Não faz muita coisa até o relógio dar o horário de ir embora.
José levanta da mesa, desliga o computador, se despede das pessoas e bate o ponto.
Vai ao elevador, caminha até o estacionamento, entra no carro e pensa: – maldita falta de ar.

José pega o horário de pico para chegar em casa.

Ele chega e toma o seu remédio da noite.
Come alguma coisa e tira a roupa do serviço.
Toma um banho e esquenta algo no micro-ondas.
Assiste alguma coisa no Netflix.

José dorme cedo como todo cidadão de bem.

Tags: